Asfaltos

Asfaltos convencionais

CAP – Cimento Asfáltico de petróleo

O Cimento Asfáltico de Petróleo (CAP) é um ligante betuminoso obtido pela destilação do petróleo e apresenta qualidades e consistência próprias para o uso na construção e manutenção de pavimentos asfálticos, pois além de suas propriedades aglutinantes e impermeabilizantes, possui características de flexibilidade, durabilidade e alta resistência à ação da maioria dos ácidos, sais e álcalis. São utilizados para a aplicação de tratamentos superficiais e macadames por penetração a quente, além da produção de misturas asfálticas diversas, dentre elas o concreto asfáltico (CA) e areia asfalto a quente (AAUQ).

  • CAP 30/45
  • CAP 50/70
  • CAP 85/100
  • CAP 150/200

 


ADP – Asfalto Diluído de Petróleo

O Asfalto Diluído de Petróleo (ADP) resulta da diluição do cimento asfáltico por destilados leves de petróleo, proporcionando produtos menos viscosos que podem ser aplicados a temperaturas mais baixas, sendo que os diluentes evaporam-se após a aplicação. Sua principal aplicação é na imprimação de camadas de base dos pavimentos.

  • CM-30
  • CM-70
  • CR-70
  • CR-250

Para mais informações, sugerimos que consulte nossa biblioteca.


Asfaltos modificados

Por polímeros (AMP)

O asfalto modificado por polímeros é um ligante asfáltico especial produzido a partir da modificação do cimento asfáltico de petróleo por polímeros elastoméricos sintéticos, resultando em asfaltos que conferem propriedades superiores aos asfaltos convencionais, principalmente para minimizar os tipos mais frequentes de falha dos pavimentos, como a deformação permanente e trincamento por fadiga, proporcionando maior vida útil aos revestimentos asfálticos. O asfalto modificado por polímeros pode ser utilizado para diversas aplicações, como nos tratamentos superficiais, areia asfalto a quente (AAUQ) e concreto asfáltico (CA). Com este ligante asfáltico também podem ser produzidas misturas usinadas especiais, como a camada porosa de atrito (CPA), mistura asfáltica tipo Gap-graded (GG), mistura asfáltica tipo BBTM/RAUD e mistura asfáltica tipo SMA.

  • 55/75-E
  • 60/85-E
  • 64/90-E

Por pó de borracha (AMB)

O uso de borracha moída de pneus na modificação de cimentos asfálticos melhora as propriedades e o desempenho do revestimento asfáltico, proporcionando alta flexibilidade e durabilidade ao pavimento, além de ser uma forma ecologicamente correta de dar destino aos pneus inservíveis, resolvendo assim um grande problema ecológico. São dois tipos de asfaltos modificados por borracha fornecidos pelas distribuidoras associadas da ABEDA: CAP borracha AB8 e CAP borracha AB22, sendo que a maior diferença entre ambos é a viscosidade e o teor de pó de borracha (maior no AB22).

O CAP borracha pode ser utilizado na aplicação de tratamentos superficiais, fabricação de misturas asfálticas usinadas a quente (binder e base) e concreto asfáltico (CA). Além disso, é possível a utilização do CAP borracha em aplicações especiais, como a camada porosa de atrito (CPA) e mistura asfáltica tipo Gap-graded (GG).

  • AB8
  • AB22

TLA

O CAP TLA (Trinidad Lake Asphalt) é um asfalto obtido de fontes naturais, que possui em sua composição alguns materiais como cinzas e areia. Este asfalto pode ser adicionado aos asfaltos convencionais, modificando suas propriedades reológicas. É um produto adequado para concretos asfálticos (CA) a ser aplicados em vias de moderado e alto tráfego.

  • CAP-TLA 30/45

Emulsões Asfálticas

Emulsões Asfálticas Convencionais 

As emulsões asfálticas são dispersões coloidais de uma fase asfáltica (50 a 70% de CAP) em fase aquosa composta de agentes emulsificantes e aditivos, que estabilizam o produto, promovem a melhoria da adesividade e o controle de ruptura. Entre as vantagens das emulsões asfálticas está a redução da viscosidade do CAP, possibilitando a sua utilização em temperatura ambiente e reduzindo a liberação de voláteis e oxidação do CAP.

As emulsões asfálticas convencionais são classificadas nos seguintes grupos, de acordo com Regulamento Técnico da ANP:

  • RR – Ruptura Rápida
  • RM – Ruptura Média
  • RL – Ruptura lenta
  • EAI – Emulsão asfáltica para imprimação
  • LA e LAN – Emulsões asfálticas de ruptura lenta catiônica e de carga neutra, respectivamente, para serviço de lama asfáltica. A lama asfáltica é uma mistura de agregado mineral, material de enchimento (fíler), emulsão asfáltica e água, usada para reparos superficiais nos pavimentos. Os agregados podem ser areia, agregado miúdo, pó de pedra ou mistura de ambos, desde que suas partículas sejam resistentes e com moderada angularidade, livre de torrões de argila e de substâncias nocivas. O fíler (cimento Portland, cal extinta, pós calcários etc.) deve estar seco e sem grânulo.
  • LARC – Emulsão asfáltica catiônica de ruptura controlada para serviço de lama asfáltica.

As emulsões convencionais podem ser utilizadas em diversas técnicas de pavimentação a frio, como os tratamentos superficiais, macadame betuminoso, solo-emulsão, pré-misturado a frio (PMF), areia-asfalto (AAUF) e lama asfáltica (LA).


Emulsões asfálticas modificadas

Por polímero elastoméricos

A emulsão asfáltica modificada por polímeros é uma evolução das emulsões asfálticas convencionais. Esses produtos são especialmente formulados incorporando polímeros elastoméricos e outros aditivos, modificando as propriedades do ligante asfáltico residual e aumentando a vida útil, coesão e diminuindo o envelhecimento dos pavimentos asfálticos. As emulsões asfálticas modificadas por polímeros elastoméricos são classificadas nos seguintes grupos, de acordo com Regulamento Técnico da ANP:

    • RR1C-E Emulsão asfáltica catiônica de ruptura rápida modificada por polímeros elastoméricos. Essa emulsão é especialmente indicada para serviços de pintura de ligação entre as camadas do pavimento.
    • RR2C-E Emulsão asfáltica catiônica de ruptura rápida modificada por polímeros elastoméricos. Essa emulsão é especialmente indicada para os serviços de tratamentos superficiais e macadame betuminoso por penetração.
    • RM1C-E Emulsão asfáltica catiônica de ruptura média modificada por polímeros elastoméricos. Essa emulsão destina-se para aplicação em serviços de pré-misturados a frio (PMF).

strong>RC1C-E Emulsão asfáltica catiônica de ruptura controlada modificada por polímeros elastoméricos, seu maior campo de aplicação é em microrrevestimento asfáltico a frio.

  • RL1C-E Emulsão asfáltica catiônica de ruptura lenta modificada por polímeros elastoméricos, seu maior campo de aplicação é em pré-misturado a frio (PMF) denso.

As emulsões modificadas por polímeros elastoméricos podem ser utilizadas em diversas técnicas de pavimentação a frio, como os tratamentos superficiais, macadame betuminoso, pré-misturado a frio (PMF) e microrevestimento asfáltico a frio (MRAF).

Para mais informações consulte na área da BIBLIOTECA, Guia Técnico – Utilização de Ligantes Asfálticos em serviço de pavimentação.

Aditivos

Melhorador de adesividade

O melhorador de adesividade, também conhecido como DOPE, é composto por aditivos químicos termicamente estáveis que atuam na interface asfalto/agregado, aumentando consideravelmente o poder de aderência entre ambos. Podem ser utilizados em diversos tipos de agregados minerais, porém a dosagem correta do teor do produto deve ser realizada em laboratório.

Controlador de Ruptura

O controlador de ruptura é um produto a base de tensoativos químicos especialmente desenvolvido para ser utilizado nas aplicações de microrrevestimento a frio (MRAF) para controle do tempo de ruptura, sendo possível aumentar o tempo de misturação e facilitar a aplicação de MRAF em condições extremas de temperatura.

Para mais informações consulte na área da BIBLIOTECA, Guia Técnico – Utilização de Ligantes Asfálticos em serviço de pavimentação.

Impermeabilizantes

História da Impermeabilização

Uma técnica milenar, a impermeabilização com uso de “betume natural” para proteção das edificações contra infiltrações era uma prática bastante difundida nas obras da antiga Mesopotâmia.

Após mais de dois milênios, as técnicas e produtos evoluíram, porém o asfalto ainda responde por quase 70% do uso de impermeabilizantes na construção civil. São produtos modificados com polímeros que são fornecidos em forma de mantas de diversas espessuras e acabamentos para aplicação à quente com asfalto em barra e maçarico e as soluções e emulsões para aplicação em forma de pintura à frio.

Com alta tecnologia, uma grande variedade de aplicações e misturas, atualmente o mercado de impermeabilização conta com mais de 100 tipos de impermeabilizantes à base de asfalto que conferem proteção, estanqueidade e durabilidade a todo o tipo de edificação na construção civil.

Os Distribuidores de Asfaltos para impermeabilização são empresas que distribuem asfaltos especiais destinados ao uso em impermeabilização de estruturas.

  • Mantas Asfálticas

Impermeabilizantes pré-moldados à base de asfalto modificado estruturado, fornecida em rolos de 1x10m com diversas espessuras e acabamentos. Atende a ABNT NBR 9952.

  • Asfalto Modificado para Impermeabilização

Asfalto tipo II ou tipo III que atende a ABNT NBR 9910, fornecido em sacos de 15, 20 ou 25 Kg para uso em sistemas de impermeabilização.

  • Fitas Asfálticas para vedação

Lâminas asfálticas adesivas revestidas com alumínio para vedação, fornecida em rolos de 10 metros de comprimento com medidas de 05 a 90cm de largura. Atende a ABNT NBR 16411.

Nossas Associadas DENVER, SIKA e VIAPOL, são empresas especializadas nos produtos para impermeabilização.